Tema da semana: 'Sinais'

segunda-feira, outubro 24, 2005

Coisa de Doido!

Toda família que se preze tem os lados mais e menos afortunados.

No caso de Osvaldo, a sua não era diferente.

Do lado de lá tinha tios, primos e a avó que moravam em São Paulo – Capital. Este lado da família era abastado, gente de posses.

Carro do ano, viagens ao exterior, todo o luxo que o dinheiro podia bancar.

Já do lado de cá, Osvaldo e seu pai moravam em Aspásia, região de Jales (pode ir lá ver mapa que existe, sim!). Cidade pequena, longe das modernidades.

E lá vai Osvaldo mandar seu convite de casamento para a parentada da cidade grande.

Ele e Suzana vão finalmente se casar!

Namoro longo o deles. Oito anos juntando dinheirinho minguado dos dois, ela professora primária, ele mecânico, para comprar uma casinha.

A fim de ganhar uns presentes melhores, despacham pelo correio convites para os ilustres convidados de São Paulo. Três em especial, para os tios mais ricos, convidando-os para serem padrinhos.

Alguns dias depois recebem o retorno: virão todos, mas estão enviando os presentes agora, para que a casa fique pronta antes do casamento.

E não é que pára um caminhão na frente da casa de Osvaldo, duas semanas depois?

Forno de microondas, telefone sem fio com secretária eletrônica, fogão de 6 bocas com grill, timer e dois fornos.

Os presentes dos padrinhos ficaram para o final:

- Uma geladeira duplex com alarme para portas abertas, freezer com regulagem
individual de temperatura, água gelada na porta;

- Uma TV de 33 polegadas;

- Um home-theater para 5-DVD/CD, com progressive scan, zoom, super surround, sintonizador para FM estéreo / AM, caixas acústicas magneticamente blindadas, controle remoto multifunção e outras coisinhas.
Osvaldo e Suzana olhavam tudo atônitos enquanto os homens iam descarregando as caixas e montando a parafernália tecnológica na modesta salinha com sofá plastificado, estante de duas partes e cortinas de tule.

Após a montagem, o homem tenta explicar, em 5 minutos, os procedimentos básicos de ligar, desligar, mudar de canal, programar canais preferidos, utilizar o Closed caption; ouvir os recados, teclas de rediscagem, armazenar números; onde colocar a água para gelar, regulagem da temperatura; utilização do grill, do timer e como preparar dois assados nos fornos; descongelar, cozinhar, esquentar. Não pôde explicar o DVD nem ouvir um CD, pois Osvaldo não os tinha.

Aula terminada, Suzana e Osvaldo sentam-se no sofá.

Em volta deles, inúmeros manuais (alguns em inglês), pilhas, tomadas com tarjas vermelhas, controles-remoto, e incredulidade misturada com pânico nos olhos de ambos.

Nem precisaram entrar em acordo. No dia seguinte Osvaldo seguiu até Jales, conversou com um conhecido de um amigo, vendeu toda a “tralha de doido” (como eles chamavam) e comprou um fogãozinho 4 bocas, uma geladeira simples, TV de 20 polegadas, rádio novo e um relógio para a parede da cozinha.

O troco que sobrou ele guardou na poupança.

Só rezava para a família não se convidar para um cafezinho na casa nova!

Por Sandra Pontes, convidada especial e dona do Escritos em letra de forma