Tema da semana: 'Sinais'

segunda-feira, agosto 15, 2005

Impressão digital

O primeiro amor é sempre o mais perfeito
porque não é vivido
apenas imaginado e sonhado.
Como Romeu e Julieta,
os eternos apaixonados,
que morreram
e não aconteceram.

É o primeiro antes do segundo
quase sempre um enigma
e muitas vezes não dura mais do que um segundo.

É intenso como um balde de cimento
mas nunca é concreto.
Daí a sua fragilidade.

Às vezes, sexo
mas sem nexo.

Tem espaço na memória
ou na gaveta da estante do esquecimento
e do desconhecimento
desse estranho sentimento.

É como uma página de um livro
pode ser lida, ignorada ou arrancada
Mas passa.

Curioso é que é fundamental
para o que tem
cor e dor
paixão e calor
tesão e compreensão
emoção e aflição
sabor e torpor.

O verdadeiro amor.

Por Helton Fraga